Weby shortcut
topo do site
Youtubeplay

Grupos de Estudo

Atualizado em 13/04/17 12:41.

 

Grupos de Estudo

 

GEHIM - Grupo de Estudos de História e Imagem da UFG

Criado em março do ano de 2011 e coordenado pelas professoras Dra. Maria Elizia Borges(FAV/PPGH) e Dra. Heloisa Selma Fernandes Capel(FH/PPGH), conta com a participação de alunos de Graduação e Pós-graduação dos cursos de História e Artes Visuais da Universidade Federal de Goiás. As reuniões do GEHIM ocorrem quinzenalmente, aos sábados, nas dependências da Faculdade de Direito da UFG, no Campus I, da praça Universitária.Aberto à participação de todos que se interessam em discutir as potencialidades cognitivas da imagem, questões metodológicas e de uso didático da imagem, o grupo se propõe investigar a relação entre história, imagem e história da arte sob a abordagem da história e das artes visuais. Início das Atividades de 2011/02:13/08/2011.

Site: http://www.gehimufg.blogspot.com/

 

 

Grupo de Estudo e Pesquisa em História e Cinema – GEPHIS-CINE


O Cinema, só a partir da década de 1970, foi alçado à categoria de fonte histórica, embora os historiadores – há muito tempo – reconhecessem seu significado na e para as sociedades contemporâneas. A iniciativa de fundar o grupo GEPHIS-CINE assenta-se no desafio de tomar Cinema e Televisão como fenômenos a serem investigados também em suas dimensões históricas. O grupo busca instituir um fórum de debates, no qual sejam privilegiados estudos e pesquisas sobre as formas de expressão audiovisuais, sendo formado por professores, alunos e profissionais ligados ao audiovisual. Nossa forma, provisória, de contato com os interessados é o Blog http://historiaecinemaufg.blogspot.com. Logo estaremos divulgando o calendário de encontros e filmes.


 

logo gemh

Grupo de Estudos Marxismo e História – GEMH

Atualmente o Grupo de Estudos “Marxismo e História” desenvolve o projeto de extensão e cultura “História, teoria e método no Marxismo Clássico”, no qual busca compreender como a propositura teórico-metodológica de Marx e Engels foi absorvida, ampliada e modificada pelas primeiras gerações de marxistas a partir de cinco eixos de reflexão: totalidade, materialismo, dialética, estrutura social e poder político e história. A primeira geração do Marxismo Clássico, identificada com a social democracia, é marcada pela ampliação da aplicação do materialismo histórico a diversas áreas do saber e novos temas, pelo desenvolvimento de um processo de sistematização do materialismo histórico que favoreceu sua divulgação e popularização, mas que implicou numa redução de sua riqueza analítica. A segunda geração, é composta por autores que refundaram a perspectiva dialético-revolucionária do materialismo histórico, recuperando temas, problemas e elaborações teóricas desenvolvidas por Marx e Engels à luz dos problemas contemporâneos do movimento operário. Tal perspectiva teórica foi decisiva para que o materialismo histórico fosse refundado em sua dimensão crítica, contribuindo para a onda revolucionária que ocorreu em diversos países nas duas primeiras décadas do século XX. Numa situação de derrota da perspectiva revolucionária e de dogmatização stalinista do materialismo histórico, que repõe os equívocos da interpretação social-democrata em novas bases, a terceira geração tornou-se responsável não só por combater este engessamento dogmático, mas por defender o conteúdo dialético-revolucionário da propositura de Marx e Engels e por atualizá-la em relação à nova situação, contribuição que se constitui na última grande elaboração totalizante dentro do materialismo histórico, antes de seu aprisionamento pelo academicismo e pela especialização.

 

 

marca_generosGrupo de Estudos e Pesquisas em Gênero

Coordenado pela Professora Dra. Ana Carolina Eiras Coelho Soares (FH), conta com a participação de alunos da Graduação do curso de História da Universidade Federal de Goiás e é aberto para a comunidade acadêmica em geral. As reuniões do GEPeG ocorrem mensalmente na Faculdade de História. Aberto à participação de pesquisadores e pesquisadoras dedicados aos estudos de gênero promovendo um intercâmbio intelectual a partir de diferentes e múltiplos saberes, narrativas, linguagens acerca das questões que envolvem gênero, considerando as ações e temporalidades das culturas como parte de uma forma de entendimento das relações que se estabelecem socialmente, cujo entendimento enriquece o campo da História. Os encontros buscarão discutir temas de estudos relacionados as referências sexualmente produzidas por meio de símbolos, jogos de significação e relações de poder, de parentesco, econômicas e políticas, a partir da noção que "o gênero é um elemento constitutivo das relações sociais baseadas nas diferenças percebidas entre os sexos e o gênero é uma forma primária de dar significado às relações de poder” (SCOTT, 1995, p. 86).
Contato: anacarolinaufg@gmail.com

Listar Todas Voltar