Weby shortcut

Extensão

Atualizado em 27/03/20 10:34.

Política de Extensão da Faculdade de História:

                  Principiava-se, no convulsivo ano de 1968, o Curso de História da UFG. Por ocasião das comemorações do seu cinquentenário em 2018, a Faculdade de História iniciou a implementação de um projeto institucional de extensão intitulado HISTÓRIA AO VIVO com objetivo de ampliar seu contato com a população e a divulgar as pesquisas históricas de modo a contribuir com os debates públicos. O projeto visa dois públicos principais:

         O primeiro público é de estudantes do ensino médio e visa aproximá-los das práticas historiográficas e da própria Faculdade de História. O projeto prevê a visita de escolas em um dia letivo na Faculdade. Dentre as atividades oferecidas estão:

  1. palestra com um dos professores da FH, de temática relevante e integrada aos processos pedagógicos vivenciados na escola;
  2. visita ao Laboratório de Ensino, Pesquisa e Extensão em História;
  3. Oficinas;

        As atividades e seu conteúdo temático são previamente combinados entre a escola e a FH, e devem contribuir para o bom andamento dos processos pedagógicos da escola. O projeto está sob a coordenação da Professora Dra. Ana Lucia Oliveira Vilela. Gestores escolares e professores interessados no projeto podem entrar em contato através do seguinte e-mail: ao.vivo.historia@gmail.com

       O projeto HISTÓRIA AO VIVO também visa a divulgação da produção científica da FH através das mídias sociais. Em 2019, inicia-se a realização de audiovisuais sobre as pesquisas realizadas no âmbito do Programa de Pós-graduação em História a serem disponibilizados livre e gratuitamente através da internet. Palestras com pesquisadores convidados e entrevistas com docentes do PPGH também estão disponíveis gratuitamente no canal do PPGH, aqui:

https://www.youtube.com/channel/UC0Jj7fvDXO0wbgYigpyJidA/featured

 

Ações de extensão:

PROGRAMA TOPOFILIAS

       A FH integra, juntamente com a Faculdade de Ciências Sociais, a Faculdade de Filosofia, o Instituto de Física, a Faculdade de Artes Visuais e a Faculdade de Informação e Comunicação, o Programa Topofilias, iniciado em 2018 com a finalidade de lidar com problemas relativos ao tráfico de drogas nos espaços da UFG, mormente no Pátio Humanidades I. O Programa atua no sentido de reocupação dos espaços universitários promovendo a ampliação do sentimento de pertencimento de alunos, profissionais técnico administrativos, docentes e da comunidade em relação aos espaços universitários. Nesse sentido, atividades acadêmicas e culturais são promovidas e incentivadas, produzindo uma espacialidade menos segregadora, mais inclusiva e pacífica.

 

       Além do projeto institucional da FH, existem os projetos coordenados pelos docentes da unidade. São eles:

 

 

REATIVAR: AGROECOLOGIAS E INTERCULTURALIDADES

Coordenador: Professor Doutor Alexandre Martins de Araújo

     Desde 2013 o projeto Reativar ancora-se nas ideias de autonomia das unidades domésticas; de segurança alimentar e nutricional e promoção da diversidade cultural e ecológica. Tem por objetivo criar as condições necessária para que moradores de setores periféricos de Goiânia, na maioria migrantes, possam reativar suas “memórias bioculturais” recriando assim suas práticas agroecológicas tradicionais em seus espaços atuais de moradia.

   As atividades são desenvolvidas por meio de uma ação conjunta envolvendo professores e alunos das seguintes unidades da UFG: Centro de Desenvolvimento Agroecológico (CDA) da Escola de Agronomia; do Núcleo de História Ambiental e Interculturalidades NUHAI/UFG, da Faculdade de História, e do Núcleo Takinahaky de Formação Superior Indígena, da Faculdade de Letras e de moradores das localidades atendidas pelo projeto. Atualmente sete escolas municipais e suas respectivas localidades participam do projeto.

     Maiores informações sobre o projeto podem ser obtidas no site: https://nuhai.historia.ufg.br/

Documentário sobre o projeto:

https://www.youtube.com/watch?v=L8883IA0IOw

 

 

RETALHOS DE MEMÓRIAS: OS SINDICATOS DOS TRABALHADORES RURAIS EM GOIÁS DURANTE A DITADURA CIVIL-MILITAR NO BRASIL (1964-1985)

Coordenadora: Professora Doutora Maria Lemke

 

      O projeto de extensão tem por objetivo resgatar a Memória dos Sindicatos dos Trabalhadores Rurais em Goiás, articular e aproximar a Universidade e a Sociedade em torno desse tema. As atividades do projeto também propiciarão que indivíduos diretamente envolvidos nesse processo, (re)construam suas concepções a respeito das lutas sindicais rurais e (re)descubram a história por meio dos seus próprios atores.

       O acervo da extinta Delegacia de Ordem Política e Social – DOPS custodiada e tratado pelo Centro de Informação, Documentação e Arquivo – Cidarq/UFG mediante parceria com o Arquivo Nacional para o projeto Memoria Reveladas – possui um conjunto documental composto também por registros de sindicatos goianos no período da ditadura militar. A partir dessa documentação serão coletados dados para busca de representantes e sindicalistas rurais em Goiás visando a obtenção de relatos (orais e audiovisuais), fotografias, documentos e demais registro e/ou informações para ampliar o conhecimento da sociedade sobre a importância e participação do movimento sindical dos trabalhadores rurais em Goiás no período da ditadura. Participam do projeto os sindicatos dos seguintes municípios goianos: Goiás, Ceres, Itaberaí, Heitoraí, Anápolis, Crixás e Mossâmedes.