Weby shortcut
40 anos de anistia

Evento: 40 anos da anistia no Brasil

Amanhã (27/08) acontece, no auditório do IESA/UFG às 10h, o evento "40 anos da anistia no Brasil". Com três perseguidos políticos nos anos da ditadura militar de 1964. Anistiados em 1979.


Dirce Machado: integrante do movimento camponês de Trombas e Formoso, nos anos de 1950. Dona Dirce foi professora e parteira, juíza preparadora dos títulos eleitorais dos que residiam em Trombas. Militante e dirigente política, destacou-se na fundação e comando do Conselho de Mulheres, base estratégica do movimento camponês liderado por José Porfírio. Após o golpe de 1964, saiu da cidade, ficando foragida até retornar e ser presa. Com a democratização, foi eleita vereadora na cidade de Trombas, em 1982 e reeleita no mandato seguinte.


Horieste Gomes: geógrafo e professor universitário. Publicou vários livros em seu campo científico e sobre temas relacionados à luta pela democracia. Trabalhou na UCG e na UFG, até a aposentadoria. Durante a ditadura integrava o Partido Comunista Brasileiro. Foi preso em 1972 e depois exilado na Suécia. Com a anistia, retorna ao Brasil e se reintegra à UFG.


Marcantonio Dela Corte: historiador, militante comunista desde estudante secundarista. Atuou no PC do B, no PCB e no MDB. Foi preso no início dos anos 1970 e, após solto, desenvolveu intensa atuação no movimento pela anistia. É um dos organizadores da Associação dos Anistiados, Cidadania e Direitos Humanos do Estado de Goiás (Anigo), organização criada para encaminhar as lutas pela reparação dos crimes da ditadura em Goiás. Um dos organizadores da mais completa publicação de documentos da ditadura, dois volumes com íntegra dos IPMs instalados em Goiás contras opositores da ditadura editados em conjunto pela Anigo e UFG.

40 anos de anistia

Categorias: noticia2